17/11/2019 por Confúcio Moura Livre ATITUDE GLOBAL

Educação e outros temas (Domingada)

Ensino

Educação e outros temas (Domingada)

1-      Educação (George Braga) – O George acredita que a educação vai melhorar num período de dez anos, ou pouco mais. Basta focar no professor, no diretor de escola e nos pais. Ele propõe cursos intensivos de três em três meses. Cursos massivos no país inteiro, a partir do Ministério da Educação. Criar uma classificação dos professores, daqueles que sabem ensinar, que podem melhorar e daqueles que têm que ir para uma nova faculdade, fazer uma nova pós-graduação para retornarem depois para a sala de aula.


2 – Educação (George Braga) – “Educação é o professor, o diretor e o prefeito focados no verdadeiro amor, o amor ao povo e o amor ao país”.  Poderíamos fazer o resgate através da educação de nós mesmos, isso é muito importante. A ansiedade, a falta de empatia, o desgosto da profissão adotado pelo servidor público, parece campear nas mentes de quem deveria servir. E não é só o dinheiro que move o homem, mas a forma e ao método de aplicação de ver resultados.

3 – Educação – Os prédios do CEEJA (Centro de Educacional de Jovens e Adultos) em Rondônia, e em muitas partes do país, grande parte deles só funciona à noite. É um desperdício. Temos prédios grandes em Rolim de Moura, Cacoal, Ariquemes, Porto Velho, Alta Floresta, São Miguel, Nova Brasilândia e outros mais. Esses prédios ficam ociosos de manhã e à tarde, geralmente. Daria para ceder esses espaços para funcionar como creches para os alunos da educação infantil. Um menino começa na escola municipal e vai fazer o ensino fundamental e médio na escola do Estado. A educação estadual e a municipal é a mesma coisa. Um mergulha no outro, não tem como deixar desperdiçar o espaço físico caro, necessário para a mudança de perfil.

4- IDEP –  Hoje existe o Instituto Estadual de Desenvolvimento da Educação Profissional do Estado (IDEP), justamente para qualificar as pessoas. Há muitos anos foi criado no meu governo, e tem ainda os espaços físicos dos CEEJAS. A gente pode chamar adultos de 30, 40 anos ou um menino de 16 anos, que já saiu da escola, e quer retornar.  O ex-aluno pode voltar a estudar e aprender  junto, uma profissão, aí sim, o Brasil combateria o desemprego e formaria uma mão de obra maravilhosa.


5 – Esporte, Educação e Política – Esse texto foi inspirado no artigo de Kátia Rúbia, publicado na Folha de São Paulo de ontem (16/11), onde ela coloca o esporte, além da competição, do alto desempenho, além de tudo, o esporte trespassa, atravessa séculos  e mantém a  lembranças de atos heroicos de atletas do passado. O esporte tem uma nova fundamentação, além da competição em si, ele ajuda na educação, nas artes e ajuda a melhorar o ser humano.


6- Esporte – O esporte exige antes de tudo, uma coragem que está dentro do ser humano, para expressar o seu limite máximo. Essa coragem aparece como uma forma de política. Exemplo: um time de futebol, voleibol, basquetebol ou mesmo as formas de competição de Formula 1, quando Ayrton Senna ganhava um título, ela dava mais uma volta no circuito, com a bandeira do Brasil. Jogadores brasileiros também se apresentam ao público, quando ganham uma copa do mundo, sobem num caminhão do Corpo de Bombeiros e exibem a bandeira do Brasil. Essas imagens circulam o mundo mostrando o lado bonito da coisa. O esporte transcende muito mais do que ele é em si. Ele é antes de tudo, o protagonista de dias melhores para todos.


7 – Marcelo Braga e Márcia Aurora – Ambos são da Polícia Militar de Rondônia. Em 2010, quando fui candidato a governador pela 1ª vez, eu era um grande desconhecido em Porto Velho, e eles dois, inicialmente, me conduziram em seus próprios carros, me levando de reunião em reunião, de casa em casa. Depois, a campanha foi encorpando, crescendo, pegando um rumo. Não posso deixar de agradecê-los, nunca. Eles realmente acreditaram em mim, mesmo quando eu tinha menos de 5% das intenções de voto.


8- Homem da Cobra (Ceilândia) – Quinta-feira passada (14), fui ao Mercado Popular de Ceilândia (DF) comprar buriti e outras coisas. O que me chamou a atenção foi um camarada num alto falante, numa pracinha e muita gente ao redor dele. Eu perguntei para uma moça que me atendida na pastelaria, o que era aquilo, e ela me disse: – Ali é uma brincadeira! Ele faz um comercial e faz uma brincadeira oferecendo mil reais em prêmios para quem comer mais rápidas três empadas. Sujeito de uma locução forte, animada, e aquela gritaria foi juntando gente. Tinha até pessoas em cima de árvore para olhar. Fiquei sabendo que a empada que ele oferecia era preparada especificamente para aquele jogo, e tinha um gosto ruim e também tinha uma cola. Na medida em que o sujeito ia mastigando a empada, ela colava no céu da boca, e a pessoa tinha que beber água e enfiar o dedo para soltá-la. Demorava muito. Certo é que, de vez em quando alguém engolia a empada, sem mastigar. Não sei se o vencedor ganhava os mil reais. Mas realmente, o que importava era a publicidade. Um grande artista de rua, animador de gente que passa e absorve a atenção da pessoa,  que olha o acontecido e dá muita risada.


9- Seu Antônio Baiano e Dona Madalena – Agricultores familiares. Os dois passaram dos oitenta anos. Estão doentes. Mas, não tem ninguém no mundo que tire eles da roça. São meus vizinhos ali no lote na entrada da linha 50, em Ariquemes. O seu Antônio está surdo e a dona Madalena cheia de problemas. Os filhos são uns dez, casados, todos moram fora. Então, isso é uma demonstração viva do apego do homem rural, que viveu a juventude, antes dos anos 50, o apego à roça. O apego à agricultura familiar, às criações. E eles sentem bem na solidão, sentem bem no mato. Infelizmente a agricultura familiar tem diminuído apoio no Brasil. A gente precisa criar novos Antônios e Madalenas para que possamos produzir mais alimentos, porque a comida no dia a dia, toda ela vem da agricultura familiar, e precisa de muito apoio.


10- Receita do Rubacão – comida simples do sertão goiano e tocantinense. (a) Rubação simples: – pisa o alho, coloca óleo, cebola, passa o arroz bem passadinho com esses temperos, sal a gosto e depois do arroz passado, coloque o feijão cozido al dente. Deixar cozinhar o arroz, e após cozido, colocar cheiro verde por cima. Rubacão incrementado – Ingredientes: charque, costela defumada, calabresa, bacon, cebola, alho, tomate, feijão verde e arroz. Modo de fazer: coloque de molho o charque cortado em cubos para tirar o sal. Cozinhe o charque com o bacon frito, alho, cebola, tomate e cozinhe na pressão, depois acrescente o arroz e o feijão verde cozido al dente. Coloque água e espere secar. (b) Arroz Sirigado – Refogue a carne seca (desidratada) com alho, cebola e pequi, depois acrescente o arroz e água. Esperar cozinhar e finalizar com cheiro verde.

por Confúcio Moura