17/04/2017 Gilmar Rocha - Web Global LIVRE NOTÍCIAS

Estudantes e MERP de Porto Velho cobram melhoria no transporte

Estudantes

Juventude academica protestam contra aumento das passagens e cobram o retorno do sistema de integração e reclamam que o sistema de integração já não atende à demanda de jovens universitários que precisam dos transportes para chegarem na universidade

A CRISE DO TRANSPORTE: Rotina em Porto Velho

Por Gilmar Rocha

Estudantes que moram em Porto Velho, na capital do Estado de Rondônia, têm rotina bastante desafiadora ao se deslocarem para suas escolas e universidades na capital Rondoniense. Os alunos de escolas públicas e Acadêmicos da Universidade Federal de Rondônia, de forma organizada cerca de 30 estudantes na tarde de quinta feira,13 foram as ruas do centro de Porto Velho, com Alto falante, faixas e bandeiras em protestos contra a desativação pela Prefeitura e o Consórcio que administra o sistema de transporte coletivo da capital SIM Sistema de Integração Municipal, o ponto principal dos protestos ocorreram no Terminal de Integração que fica na Rua Rogério weber no centro da capital.

De acordo com a coordenação as atividades de protestos foram organizadas por acadêmicos e secundaristas, sob a bandeira de luta levantada pelo MERP – Movimento Estudantil Popular Revolucionários com a participação de vários grupos Acadêmicos da Universidade federal do Estado de Rondônia UNIR. Em marcha nas lutas pelos preços das tarifas, os protestos iniciaram na Praça Aluisio Ferreira, Avenida Farquar,Sete de Setembro e Rogério Weber no Terminal de Integração, num ato de protesto público onde realizaram panfletagem,distribuição de jornais informativos A NOVA DEMOCRACIA, no momento dessa concentração foram cobrados os direitos ao sistema de transporte de qualidade e ainda cobraram a reativação do sistema de integração das passagens, higiene e limpeza dos ônibus além do congelamento do preço das tarifas para estudantes e para toda a classe trabalhadora. A marcha dos estudantes em protestos aconteceu de forma pacifica mesmo com fortes gritos e palavras de ordens revolucionárias.

No terminal de integração  a juventude estudantil fechou uma das saidas do terminal, chegaram a ser repreendidos por um funcionário do sistema de consórcio SIM, mas com palavras de ordens e gritos de luta permaneceram no lugar e convocaram os usuários dos transportes urbanos a apoiarem a luta do movimento pela volta da integração. “ O prejuizo foi para todos”  explicou Andressa Dias. Presidente do Centro Acadêmico de Ciências Sociais da Unir.

“Andressa Dias assegurou que os protestos é por integração no transporte público de Porto Velho e que o terminal não faz a” integração ” e reclamou ainda da falta de iluminação no terminal além da falta de segurança pública. Garantiu ainda que esses protestos, são medidas que estão sendo tomadas pelos estudantes secundaristas e acadêmicos da UNIR|RO para cobrar melhores condições no transporte coletivo local,e que o  assunto  já foi discutido junto aos Centro Acadêmico da UNIR", disse a coordenadora do movimento.

Andressa Dias reclamou ainda da organização dos horários dos ônibus para a Unir|RO e que os carros já saem lotados do terminal de integração e não param mais em nenhum local no percurso e vai direto para Unir. Relatou ainda que é muita espera e demora cerca de uma hora aguardando para ônibus Unir.

Com uma pauta extensa de problemas que vem ocorrendo no transporte urbano os estudantes estão reivindicando a volta da integração nos ônibus locais de Porto velho e pedem a garantia de segurança no terminal,com policiamento ostensivo até meia noite, horário em que os ônibus param de circular. Acadêmicos reclamaram ainda da exigência de apresentação de carteira de estudante junto ao atestado de matricula pelo Consórcio SIM .  “ É um absurdo que,além de comprovar a matricula, tenhamos que gastar dinheiro com uma carteira que vai aludir o que o ducumento já atesta”, reclamou a estudante Andressa Dias, Presidente do Centro Acadêmico de Ciências Sociais da Unir.

 

Por>  Gilmar Rocha  Web repórter

Texto|Fotos|Vídeo Gilmar Rocha.

Fonte: Amazônia Global -  Atitude Global

www.amazoniaglobal.com